NOTÍCIAS

13/10/2017
Palestra aborda prevenção as doenças na piscicultura
Diversas palestras técnicas estão sendo realizadas na Expo Toledo 2017. Um dos destaques desta sexta-feira (13) foi a piscicultura. Área em que Toledo se destaca na produção. Em 2016, o VPB (Valor Bruto da Produção) atingiu a marca de R$ 29,7 milhões. Volume que exige a manutenção do padrão de qualidade já existente em Toledo e região.

O professor doutor da UEL (Universidade Estadual de Londrina), médico veterinário, Ulisses de Padua Pereira, abordou o tema "Principais doenças na Piscicultura Atual".

Segundo ele, duas bactérias têm transmitido doenças que mais têm atingido a produção de tilápia: a Streptococcus agalactiae e a Francisella.

Elas têm afetado as produções e trazendo prejuízo aos piscicultores, também na região oeste, por isso a prevenção é essencial.  A contaminação por essas bactérias pode provocar mortalidade de até 80% da produção e os custos de tratamento são altos.

"A Francisella começou a atingir um pólo produtivo na região, de difícil manejo, e a gente não está acostumado a lidar. Com essa conversa que tivemos oportunidade de ter aqui na Expo Toledo, muita coisa foi esclarecida e vai fazer efeito na fazenda do produtor", afirmou o doutor Ulisses.

Ele chamou a atenção para uma característica da produção de peixe de Toledo e região que fez as bactérias demorarem mais a atingir as produções: os tanques escavados.
Na região de Londrina, de onde vem o doutor Ulisses, usa-se muito as gaiolas flutuantes em represas, que facilita a disseminação das doenças.

"O pólo Oeste, de Toledo e região, é extremamente expressivo no Paraná na produção de peixe. Aqui tem muitos tanques escavados, que é mais fácil de prevenir doenças, por isso que a região demorou a chegar aqui e atingiu poucos produtores".

Nesta tarde também foi ministrada a palestra com professor doutor em aquicultura da UEL, Nilton Ishikawa, que abordou "O Ambiente na Produção de Peixes".

Palestra aborda prevenção as doenças na piscicultura